Zinescritos#03

terça-feira, 21 de maio de 2019

Sinopse: Mais uma edição do Zinescritos: uma pequena amostra de amor à literatura dos escritores deste coletivo independente. Um trabalho que é realizado desde 2015.
Nesta terceira edição, temos o prazer de ter as estreias de Claudia Mina e Kaori Bruna, além dos contos de Balthazaar Pacco, Daniel Constantini, Hugo Sales, Marecelo Aceti, Rafaela Manicka, Sandro G. Moura, Stephanie Santana e Thiago Lee.
Esperamos que goste e ...
#ValorizeaLiteraturaBr
  Assim como o Zine#02, este livreto chegou em minha mão em outubro de 2018 durante o Congresso do Livro em pauta quando fomos indicadas à uma premiação por um conto na Antologia Sem mais, o amor, mas regressando sobre como ganhamos o  livro foi basicamente através de um dos organizadores, Daniel Constanini.

PS: Essa junção de contos foi organizado esse ano por André Pacheco, Daniel Constantini e Sandro Pacheco.
PS2: Como se trata de uma coletânea, o post não terá a estrutura de sempre, está bem?

PS3: Tentarei o máximo falar sobre cada um com o mínimo de possibilidade de spoiler, ok?

Amor de Marfim - Balthazaar Pacco 
Somos levados à anos atrás, precisamente a era jurássica com a história de amor de Piutogak por Anmaikiki, eu poderia sim facilmente dizer que trata de um simples um amor inter-racial e platônico, apesar de utilizar de protagonistas animalescos, no entanto ao meu ver isso tudo nada mais é que uma metáfora básica que o leitor pode ter visões distintas, mas tem uma variável comum a todas, o sentimento.

Trégua - Claudia Mina 
Com uma narrativa diferenciada, sob os olhos de Anderson pouca coisa posso dizer da trama, além do pensamento na minha cabeça: Aonde esse mundo vai parar ou seria onde devia parar? Leiam e me digam sua conclusão.

Mariane Castelo - Daniel Constantini 
Sem sombra de dúvidas o conto traz em seu nome sua narradora. Tenho que confessar que a primeira vez que li a estória me questionava mais sobre quem fora Mariane do que sobre seu discurso foi um belíssimo tapa na cara:

"Como se a tinta fosse mais pesada que as atitudes".

Simplificando ao extremo a singularidade e otras cositas más sobre o individuo mais excêntrico por assim dizer: o bicho homem

A Fuga - Hugo Sales 
Primeiramente gostaria de declamar que enquanto lia não consegui para de pensar numa música chamada Diásporaconseguia enxergar todas as sensações de Lionel numa parte em especifico. Agora voltando a escritura que em poucas linhas causa uma forte empatia entre leitor e personagem ao ponto de me fazer chorar (sério, eu chorei). enfim, o conto se passa num futuro não tão distante em que damos dos passos a frente e uns 1888 para trás. Ops! Acho que falei demais , mas sério. Leiam!

Postal - Kaori Bruna 
William é uma garoto especial (ao meu ver) e também bastante conhecido em ver sua região por seus postais que nem sempre eram bem vista,afinal um detalhe que tornava os divergente de qualquer outro. Especialmente para mim o texto é lindo e merece um pouco.

Sob Controle - Marcelo Aceti 
A história que se passa no ano de 2023 com incríveis e assustadoras possíveis realidades, "brincando" com pequenas verdades já ocorrida causa rápida e angustiante imersão em algo que inicio para que vai te contar o porque de algo, mas na verdade é muito mais sobre silenciar a voz da nação, de todas elas.

Almas Perdidas - Rafaela Manicka 
Caetano vive em um tenso conto de horror que me deixou verdadeiramente com medo, apesar de ter uma pegada que lembrou alguns livros e filmes já conhecidos por mim, a leitura te pega em outro momento.

Verdades Indigestas - Sandro G. Moura 
Azazel vulgo um dos sete anjos do inferno e relacionado ao pecado capital da Ira (fascinante por si só mesmo, pelo menos para mi persona) é quem nos presenteia nessa história de diversas formas interessante e polêmicas assim como o assunto em pauta, uma crítica magnifica à intolerância instalada enquanto faz o mesmo com uma televisão.

E se o tempo não passar? - Stephanie Santana 
Em terceira pessoa parte do dia da interiorana Marília é discorrida, se a atenção não for dada só parece mais um dia normal de alguém bastante preguiçosa, mas claramente a moça está com problemas, é totalmente belo como é retratado um estado de baixa na depressão pelo  lado do enfermo, talvez porque eu entendo isso e sei como é difícil afinal dizem sempre que é frescura no minimo fora outras coisas, no entanto o final é uma verdade real e oficial!

Verde e Azul -  Thiago Lee 
Essa história contada em terceira pessoa passasse na sala de aula do segundo ano B durante uma aula de matemática, que o professor ancião reclama a ausência de seus pertences e é interessante como ficamos no escuro até a última frase do texto. Obrigada!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desça já da minha nuvem - Todos os direitos reservados - Por: Louder Design