Orgulho e Preconceito – livro e filme - Jane Austen

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Sinopse: Segunda obra publicada de Jane Austen, Orgulho e Preconceito foi terminado em 1797, quando a escritora ainda não tinha completado 21 anos. Foi lançado em 1813, e seguiu o sucesso de seu primeiro livro, Razão e Sensibilidade.
Em Orgulho e Preconceito, Elizabeth Bennet, segunda de 5 filhas de um proprietário rural na cidade fictícia de Meryton, lida com os problemas relacionados à educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática do início do século XIX, na Inglaterra. Como em toda a obra de Austen, o texto utiliza de uma fina ironia para retratar e criticar a hipocrisia moral da virada dos séculos XVIII e XIX.

Primeiro quero começar dizendo que este romance de época da Jane Austen é um dos meus livros preferidos no mundo todo, senão o preferido!
Eu li e reli duzentas mil vezes e assisti o filme tantas outras que sequer posso contar nos dedos. Estrelado por Keira Knightley, o filme me marcos demais. Ver meus personagens tão bem representados e aquele lindo do Matthew MacFadyen fazendo Sr. Darcy do exato jeitinho como eu imaginei o personagem fez minhas pernas tremerem.

Um pouco sobre a história: Da autora Jane Austen, Orgulho e Preconceito se passa na Inglaterra no final do século XVIII (18). Naquela época, uma mulher sem dote, dificilmente crescia socialmente e ascendia na sociedade. Elizabeth Bennet, uma garota de 20 anos, é feminista, esclarecida, inteligente e liberalista, ela sabia que precisaria se casar com um bom partido mas ela buscava, de fato, o amor.
Sr. Darcy (Fitzwillian Darcy) era um nobre da elite de Londres acostumado a conviver com pessoas do mesmo nível social que ele. Em uma festa, Sr Darcy conhece as irmãs Bennet e logo as descarta como possíveis pretendentes e Elisabeth percebe que o Sr. Darcy era a pessoa mais orgulhosa que ela já havia conhecido, passando então a não suportá-lo.
Bingley e Jane (amigo de Darcy e irmã de Elizabeth) ficam cada vez mais próximos, fazendo com que Darcy e Elizabeth também se aproximem. As opiniões de ambos era bastante controversas e Elisabeth acabou por criar uma certa intolerância ao Darcy. Com o tempo eles começam a se "aceitar" mais.

Primeiras impressões: Sabe aquele livro que toda vez que você vê uma edição diferente você quer comprar? Ok, acho que sou uma das poucas pessoas com esses probleminhas...
A verdade é que "Orgulho e Preconceito" é sim meu livro preferido em todo o mundo.

O romance protagonizado por Elisabeth e Sr. Darcy é moldado de acordo com a sociedade em que viviam os personagens é realmente encantador. Sr. Darcy foi meu par romântico literário por muitos anos e, posso dizer, sem sombra de dúvidas que ainda é. Um homem forte, orgulhoso porém apaixonado e Lizzy, uma mulher com convicções muito assíduas e de opiniões extremamente revestidas de argumentos. A leitura de Jane Austen sempre me brinda com calor, paixão, amor e um pouco de briga social.

Em vão tenho lutado comigo mesmo; nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos e preciso que me permita dizer-lhe que eu a admiro e amo ardentemente.

Impressões finais: Jane merece ser lida por qualquer pessoa, e Orgulho e Preconceito merece ser o livro de cabeceira de mais algumas pessoas como é o meu.

São muitos os meus defeitos, mas nenhum de compreensão, espero. Quanto a meu temperamente, não respondo por ele. É, segundo creio, um pouco ríspido demais… para a conveniência das pessoas. Não esqueço com facilidade tanto os disparates e vícios dos outros como as ofensas praticadas contra mim. Meus sentimentos não se manisfestam por qualquer coisa. Meu temperamento poderia talvez ser classificado de vingativo. Minha opnião, uma vez perdida, fica perdida para sempre.


Trailer:

Sobre o autor: Jane Austen (Steventon, Inglaterra16 de dezembro de 1775 — Winchester, Inglaterra, 18 de julho de 1817) foi uma proeminente escritora inglesa. A ironia que utilizou para descrever as personagens de seus romances a coloca entre os clássicos, haja vista sua aceitação, inclusive na atualidade, sendo constantemente objeto de estudo acadêmico, e alcançando um público bastante amplo.
Nascida em Steventon, Hampshire, de uma família pertencente à nobreza agrária, sua situação e ambiente serviram de contexto para todas as suas obras, cujo tema gira em torno do casamento da protagonista. A inocência das obras de Austen é apenas aparente, e pode ser interpretada de várias maneiras. Os meios acadêmicos a têm considerado uma escritora conservadora, apesar de a crítica feminista atual reconhecer em suas obras uma dramatização do pensamento de Mary Wollstonecraft sobre a educação da mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desça já da minha nuvem - Todos os direitos reservados - Por: Louder Design