Sem mais, o amor – Organizado por Leandro Schulai (Editora Andross)

terça-feira, 15 de maio de 2018

Sinopse: Fernando Pessoa já dizia que “todas as cartas de amor são ridículas”. E afirmava veementemente: “não seriam cartas de amor se não fossem ridículas”. Mesmo não vivendo o suficiente para conhecer novas tecnologias de comunicação, o poeta sabia bem que a interação verdadeira entre duas pessoas que se amam se despe de vaidades e apresenta a pureza de um sorriso. SEM MAIS, O AMOR é uma coletânea de contos românticos em forma de cartas, emails, páginas de diário e outras formas de registro escrito. E o mais importante: são histórias ridículas! Exatamente como o poeta disse que tinham de ser.


Quando fiz a resenha de “Miríade” eu cheguei a mencionar como conheci a editora Andross e, foi exatamente por causa do organizador desta antologia aqui, Leandro Schulai, que dedicou horas a fio do tempo para ler um texto enorme meu e me ajudar a modificar, então quando percebemos não ser possível, fiz questão de escrever um outro texto só para poder participar (ou ter a chance de participar) da antologia dele.
Primeiro, escrevi o texto dessa antologia junto com a Ingrid (sabe aquela outra blogueira maravilhosa que escreve aqui no Desça já?, então!) e decidimos dividir partes do texto, ela escrevia um parágrafo, me enviava eu escrevia outro, mas as vezes mexia no dela e ela no meu, uma salada absurda que resultou em “Verão em Aruba”, o que finalmente enviamos para esta antologia.
Segundo, o organizador, Leandro, disse que amou nosso texto! Não sei se ele estava apenas sendo educado, mas ficamos tão felizes que graças a este retorno do editor, acabei escrevendo um segundo texto para antologia “Miríade”, também da editora Andross e organizada por Alfer Medeiros.
Aí, então, foi só alegria, como eu já disse antes, depois dos textos aprovados recebi meus exemplares no lançamento que foi na LEP, um evento maravilhoso organizado pelo Edson Rossatto e a própria editora Andross, que, inclusive premia seus melhores autores votados democraticamente pelos próprios colegas (fiz um post "Desça recomenda" explicando essa premiação).
Vamos a resenha.


Um pouco sobre a história: A proposta inicial nesta antologia é que os contos fossem de romance e escritos em forma de cartas, ou que mencionassem mensagens de texto, e-mails, etc.Como já expliquei, Antologia, nada mais é do que um compêndio de contos de diversos autores diferentes e, no caso das antologias da Andross, cada autor com três páginas ou menos.
A editora,anualmente, faz uma premiação chamada Strix, concorrendo nela todos os autores de suas antologias, em vista da premiação eu tive que ler as antologias um pouco mais rápido do que eu esperava e, por fim, escolher os meus dez contos preferidos (sem ser o meu, obviamente).

Primeiras impressões: Drama.Confesso que esta antologia foi a mais difícil de escolher os meus contos preferidos, primeiro porque a maioria esmagadora dos contos tinha hiatos temporais (saltos no tempo) que é um estilo que eu, particularmente, não gosto em textos. Segundo porque a proposta da antologia era romance e, novamente, a maioria esmagadora, escreveu drama. Eu não teria estranhado encontrar um ou outro texto dramático ou infeliz no meio do livro, mas acho que a maioria dos autores teve a mesma ideia e acabou virando, ao menos para mim, uma antologia voltada ao drama, com raros finais felizes.

Impressões finais: Dentre tantos contos que eu li, consegui selecionar seis que eu gostei e a Ingrid selecionou mais alguns, já que tínhamos que enviar, vamos lá:
Papéis picados da autora Selma Barbosa foi o texto que eu mais gostei da antologia, não sei explicar bem porque, mas o texto da Selma me tocou.
Além dele posso mencionar: Querido Paulo da autora Tamires de Carvalho, Guerreiro Apaixonado da autora Vitória V. Lussari (texto que tanto eu quanto a Ingrid gostamos muito), Dias de Outono da autora Margarete Schiavette, Amor Literário da autora Nicole Siebel (amei esse texto, muito bem escrito e bem desenvolvido), Passos de um amor da autora Aracelly Lima, Melinda da autora Helena Mendonça, Espere-me de S.G. Martins e Existem garotos bons? Texto de Ariane M. Costa que tanto eu como a Ingrid adoramos.
Fiquei apaixonada pelo texto escrito pelo Leandro Schulai, próprio organizador, mas nossos votos não podiam ser para ele (risos).

Sobre o autor: A antologia foi organizada por Leandro Schulai que jamais imaginou que um dia se tornaria escritor. Com formação acadêmica voltada para a informática (Formado em Processamento de Dados pela Universidade São Judas) seu despertar para a escrita aconteceu muito antes de ingressar na faculdade, aos 15 anos. Onde ao escrever uma redação para a escola utilizando os próprios colegas da classe como personagens, percebeu que deveria investir na carreira.

Por fim, só quero dizer que a premiação é dividida em três fases, sendo a primeira a eleição de dez autores, a segunda a eleição de cinco autores e o final (que será na LEP deste ano) a eleição de um conto vencedor. 
Eu e a Ingrid estamos entre os finalistas com o conto Verão em Aruba indicado ao prêmio Strix.



Um comentário:

  1. Que lindo ver o meu conto, Querido Paulo, entre os seus favoritos! O Verão em Aruba foi um dos meus favoritos também ��
    Esse ano vou tentar não ser trágica, caso consiga entrar na coletânea.

    ResponderExcluir

Desça já da minha nuvem - Todos os direitos reservados - Por: Louder Design