Luxúria – Livro I – autora: Juliana Bizatto

sexta-feira, 29 de setembro de 2017


Sinopse: Samantha cresceu nos luxos e tradições de sua família e, desde cedo, aprendeu a não fazer perguntas. Ela não precisa saber o que aconteceu ao seu pai, ou por que a Vozinha não permite que as garotas saiam em noite de lua cheia, ou ainda entender a razão pela qual nenhuma Hoffer jamais morou fora da ilha, quanto menos saiu da cidade de Tormento. Ela não precisa saber, apenas obedecer.Porém a obediência se põe a prova quando Benjamin aparece em sua vida. Benjamin, com sua insistência, com seu charme e com sua tendência a aparecer sempre no momento em que ela mais precisa. De repente o certo parece errado, e o errado... irresistível!Samantha e Tormento não sabem, mas as suas vidas jamais serão as mesmas."Nem toda inocência sobrevive ao destino, mas todo segredo nasce com a promessa de um dia ser revelado."


Hoje vamos falar de Luxúria, sugestivo o nome? Talvez! Mas já adianto que não é um livro tão obvio assim.
Confissão nº 1: Eu já queria ler o livro da Juliana Bizatto há algum tempo, mas estava completamente sem tempo, mas sabe quando aquele comichãozinho cresce depressa dentro de você e faz alguma coisa saltitar dentro do seu coração?
Pois bem, fui convidada pela própria Ju para fazer parte do seu lançamento virtual, claro que já tinha visto o livro dela por aí nas redes sociais de alguns blogueirinhos, então ela me convidou no exato dia que nos conhecemos e eu aceitei.
Vou dizer que deu tudo absolutamente errado, claro. Porque a vida as vezes precisa de um pouco de emoção. Fiquei super sem internet no dia e quase não consegui participar, mas as estrelinhas da Juliana são tão fortes que lá estava eu, colada no meu celular respondendo as mensagens, fazendo sorteios e, acima de tudo, olhando todo o lançamento da Ju. Me deparei com duas coisas extremamente amáveis, a Soraya Albuchaim (autora) e os dois livros da Juliana, Luxuria e Apocalipse e então eu pensei: preciso desse livro quase o mesmo tanto que preciso respirar.
E óbvio que não queria só os livros, queria também aquelas poçõezinhas mágicas super fofas que a Ju costuma dar para quem leva o livro. Estava decidida a comprar os dois livros com todos os brindes que eu tinha direito e começamos a conversar.
Resumo da história? Conheci a Juju pessoalmente na Bienal do Livro do RJ 2017, sai de lá com todos os brindes que eu mais, queria, os livros dela, fotos e muito amor, além de uma amiga para vida toda, minha pequena bonequinha. <3
Depois desse bla bla bla todo, vamos ao que interessa...


Um pouco sobre a história: Samantha vive em uma ilha com as primas, irmã, tias e avó. Estranhamente na ilha moram apenas as mulheres da família, uma família extremamente rica, a Samantha, como toda boa protagonista, é toda errada. Desajeitada, desastrada, vive caindo por aí e certamente não é a que mais se destaca da família Hoffer, mas ainda assim, é uma Hoffer e, em Tormento, isso quer dizer que você pertence a uma família elitizada, com grande prestigio social. Não que ela não seja tão perfeitamente linda, loira e gostosa, como as demais, mas de todas, é a mais apagadinha, como aquela estrela que brilha menos dentro de uma constelação.
Ainda que a história da família seja rodeada de segredos e estranhos acontecimentos, como o fato de não terem mais homens pertencentes a essa família,  Samantha aprendeu a ser obediente e nunca questionar seu passado mais do que sua mãe, tias ou avó pudessem lhe falar.
Acontece que Samantha namora Martim desde sempre mas parece que se entregar a ele a fez perceber que talvez o garoto não fosse tudo o que ela imaginava, no meio desse vendaval de sentimentos chega na cidade Benjamim, um garoto ranzinza, que vive testando a paciência de Samantha. O que Sam não imaginava, é que a chegada de uma nova família na cidade mudaria completamente sua vida.

Primeiras impressões:
Luxúria é o primeiro livro da Série Herança de Sombras.
Nas primeiras cenas percebi que Samantha tinha uma semelhança incrível comigo mesma, sobre sempre cair por aí. Não que eu seja tão desastrada assim!
De qualquer forma, Samantha sempre foi uma menina obediente, sempre se importou com sua família e nunca ligou por ficar à sombra da irmã ou das primas mais velhas e mais bonitas ou mais interessantes do que ela. É legal perceber logo no começo do livro que a personagem tem esse jeito diferente de se manter, aceitando tudo que a vida lhe dá com sinceros agradecimentos porque sempre me faz enxergar aquele potencial,  meticulosamente calculado ao longo do crescimento pessoal da personagem.
Martim não me convenceu como realeza desde o começo, não por ser todo envolvido na política, ou talvez até por isso já que o mundo está abraçando tanto essa fase de corrupção. Mas acho que Martim é típico almofadinha, mimado, filhinho de papai que vai dar trabalho, ou receber trabalho até demais da conta quando pessoas mais interessantes aparecem.

Impressões finais: Perdi as contas de quantas vezes quis gritar, chutar tudo e proteger a Samantha. As Hoffer todas são potencialmente inofensivas, no começo pensei que terminaria com uma leitura dura e chocante sobre uma personagem que se sente ameaçada e inferir até a sua própria família, mas o que enxerguei foi uma amizade maravilhosa se expandir entre as Hoffers, todas perfeitamente unidas, em sintonia, como uma simbiose em que uma parte precisa da outra para sobreviver.
A Mô, provavelmente é a minha preferida das meninas, tagarela, engraçadinha e melhor amiga da Samantha que tem a pior função na vida. Porque sim, sempre a melhor amiga é aquela que tem o dever de ferir com a verdade e a Mô faz coisas tão inimagináveis pela Samantha que realmente senti vontade de ter alguém assim pra mim.
E por fim, somente perto do final que a magia realmente aconteceu? Claro que não. Passei o livro todo lendo e vendo magia sem saber que ela realmente estava ali. Isso me tocou na alma. Juliana conseguiu me transportar para dentro do mundo das sombras de Tormenta e eu ne percebi que estava lá. Problema da vida: Não consigo mais sair e já engoli Apocalipse (segundo livro da saga das sombras) mas, como pessoa boa que sou, vou demorar um pouco mais para postar a resenha e deixar vocês curiosos acompanhando as outras resenhas também. Hehe
Por fim, posso dizer que Luxúria é aquele livro que me conquistou. Eu falei isso uma vez para Juliana e não me importo em dizer publicamente que é o melhor livro nacional que eu já li até hoje. A trama é deliciosamente bem elaborada, a riqueza de detalhes te coloca exatamente onde você quer se imaginar estar durante a leitura e todos os acontecimentos me prenderam de tal maneira que me senti uma própria Hoffer (já que a maioria das mulheres quer ser uma Hoffer, porque se eu fosse um homem, como todos os outros, ia desejar possuir uma). No fim das contas o que me pareceu ser um romance bem construído desembocou numa série de aventuras instigantes com mistérios e segredos que me fizeram ficar de queixo caído mais do que uma vez.
E só para não deixar passar em branco, eu me apaixono por livros que trazem um epílogo bem construído com uma visão diferente sobre a trama, quis chorar e bater no benjamim uma porção de vezes.

Sobre o autor: Nascida e criada em Jaraguá do Sul, Santa Catarina. Formou-se médica em 2010 pela Universidade da Região de Joinville e no programa de residência médica de ginecologia e obstetrícia na Maternidade Darcy Vargas em 2017. Apesar de que o apetite pela literatura tenha vindo cedo na forma de leitura, a escrita veio apenas mais tarde, sendo Herança de Sombras a primeira obra publicada aos seus 30 anos. Mãe do adorável Bernardo, reside atualmente entre Jaraguá do Sul e Tormento. 

Um comentário:

  1. Tinha que ser a linda da Thata! Tô emocionada aqui gatona! E não acho que mereço esse título de melhor livro nacional, mas me comprometo a não decepciona-la com Ira e os demais! Eu sou muito feliz de tê-la na minha vida, mais que uma parceira é uma amiga pra vida toda!! Te amoooooo Thata ❤️❤️❤️❤️

    ResponderExcluir

Desça já da minha nuvem - Todos os direitos reservados - Por: Louder Design