100 Cartas de uma saudade de Ricardo Tacliaferro (o primeiro da duologia)

terça-feira, 13 de junho de 2017


Sinopse: O que aconteceria se teu ar lhe fosse tirado? O que aconteceria se a coisa mais importante da sua vida fosse roubada? O que aconteceria se o amor de sua vida nunca tivesse existido? Um homem destinado a escrever palavras de amor e saudades de alguém que nunca vai ler. Ele simplesmente se vê obrigado a reaprender a viver (...) "100 cartas de uma saudade" relata a história de um jovem rapaz que tenta lidar com o frio da serra gaúcha, a falta de imunidade e a pior de todas as saudades: A do amor de sua vida. Um livro que mostra que nem todas as cartas de amor são clichês e quem nem todos se vão, tem a oportunidade de voltar a tempo.

O Ricardo é um dos nossos parceiros e com todo carinho do mundo nos disponibilizou a duologia, ou seja, em breve teremos mais. Enfim, voltando à pergunta eu o conhecia por um Instagram que entrevista autores desse país lindo, conversamos sobre a parceria, mas resolvi fazer diferente dos meus costumes e não fazer pesquisa sobre o livro apenas embarcar na história sem saber nada além do nome. 
O que achei do livro: O autor faz jus ao que profere na sinopse: Não é clichê, o estilo de cartas te faz confabular uma ideia porque nada é jogado na sua cara, as informações são sutilmente em um dos escritos do destinatário Lincoln a sua amada Manoella. Peguei-me fazendo anotações para que eu não pudesse perder nada do que a história me contaria. Uma coisa que fica na cara desde o começo é como o paulista ama sua Princepessa como os versos da música Onde você mora? da banda Cidade Negra: “Amor que eu nunca vi igual/ Que eu nunca mais verei/ Amor que não se pede/ Amor que não se mede”. A história se passa na na Serra Gaúcha e conta com desmedidas formas de demonstrações através da escrita dos sentimentos do rapaz enquanto espera o retorno da amada,assim com dois personagens secundários que dão um pouco de cor aos dias cinzentos, Marcos ( seu amigo de infância que se muda para a nova terra de seu parceiro) e Lavínia ( o que dizer dela? Mal conhecemos, mas consideramos pacas). Uma palavra poderia descrever todo o livro: Visceral, pois é isso não é só simpatizar com os manuscritos e o personagem. Sentimos junto com ele, admito que algumas cartas foram capazes de me fazer chorar.
Primeiras impressões: Que era um casal perfeito demais que demais, me deixou na dúvida se eu era sistemática ou se era idealizador pelo remetente da carta.
Impressões finais: Manoela não gosto de você!

"Às vezes me pergunto se não foi o mesmo que aconteceu com você, sabe? Eu ter te prendido demais com medo de perdê-la e acabei te deixando doente por não saber lidar."

Sobre o autor: Nascido em 1992 em Pindamonhangaba, interior de São Paulo, amante de novos lugares e novas histórias, decidiu contar ao mundo o que seus olhos viam e o que sua mente imaginava. É graduado em Marketing e graduando em Gestão Empresarial, se especializou em produção editorial pela UNIL – Editora UNESP.
Em outubro de 2014 estreou como escritor lançando seu primeiro romance intitulado “100 cartas de uma saudade” de forma totalmente independente, em março de 2015 assinou contrato com a editora Autografia para relançamento do mesmo, agora de forma oficial. Em 2016 lançou simultaneamente os livros “18 Anos de Solidão” que dá continuidade ao "100 cartas de uma saudade" e a coletânea de poesias feita em parceria com dois amigos intitulada "Depois das 11".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desça já da minha nuvem - Todos os direitos reservados - Por: Louder Design