Zinescritos#03

terça-feira, 21 de maio de 2019

Sinopse: Mais uma edição do Zinescritos: uma pequena amostra de amor à literatura dos escritores deste coletivo independente. Um trabalho que é realizado desde 2015.
Nesta terceira edição, temos o prazer de ter as estreias de Claudia Mina e Kaori Bruna, além dos contos de Balthazaar Pacco, Daniel Constantini, Hugo Sales, Marecelo Aceti, Rafaela Manicka, Sandro G. Moura, Stephanie Santana e Thiago Lee.
Esperamos que goste e ...
#ValorizeaLiteraturaBr
  Assim como o Zine#02, este livreto chegou em minha mão em outubro de 2018 durante o Congresso do Livro em pauta quando fomos indicadas à uma premiação por um conto na Antologia Sem mais, o amor, mas regressando sobre como ganhamos o  livro foi basicamente através de um dos organizadores, Daniel Constanini.

PS: Essa junção de contos foi organizado esse ano por André Pacheco, Daniel Constantini e Sandro Pacheco.
PS2: Como se trata de uma coletânea, o post não terá a estrutura de sempre, está bem?

PS3: Tentarei o máximo falar sobre cada um com o mínimo de possibilidade de spoiler, ok?

Amor de Marfim - Balthazaar Pacco 
Somos levados à anos atrás, precisamente a era jurássica com a história de amor de Piutogak por Anmaikiki, eu poderia sim facilmente dizer que trata de um simples um amor inter-racial e platônico, apesar de utilizar de protagonistas animalescos, no entanto ao meu ver isso tudo nada mais é que uma metáfora básica que o leitor pode ter visões distintas, mas tem uma variável comum a todas, o sentimento.

Trégua - Claudia Mina 
Com uma narrativa diferenciada, sob os olhos de Anderson pouca coisa posso dizer da trama, além do pensamento na minha cabeça: Aonde esse mundo vai parar ou seria onde devia parar? Leiam e me digam sua conclusão.

Mariane Castelo - Daniel Constantini 
Sem sombra de dúvidas o conto traz em seu nome sua narradora. Tenho que confessar que a primeira vez que li a estória me questionava mais sobre quem fora Mariane do que sobre seu discurso foi um belíssimo tapa na cara:

"Como se a tinta fosse mais pesada que as atitudes".

Simplificando ao extremo a singularidade e otras cositas más sobre o individuo mais excêntrico por assim dizer: o bicho homem

A Fuga - Hugo Sales 
Primeiramente gostaria de declamar que enquanto lia não consegui para de pensar numa música chamada Diásporaconseguia enxergar todas as sensações de Lionel numa parte em especifico. Agora voltando a escritura que em poucas linhas causa uma forte empatia entre leitor e personagem ao ponto de me fazer chorar (sério, eu chorei). enfim, o conto se passa num futuro não tão distante em que damos dos passos a frente e uns 1888 para trás. Ops! Acho que falei demais , mas sério. Leiam!

Postal - Kaori Bruna 
William é uma garoto especial (ao meu ver) e também bastante conhecido em ver sua região por seus postais que nem sempre eram bem vista,afinal um detalhe que tornava os divergente de qualquer outro. Especialmente para mim o texto é lindo e merece um pouco.

Sob Controle - Marcelo Aceti 
A história que se passa no ano de 2023 com incríveis e assustadoras possíveis realidades, "brincando" com pequenas verdades já ocorrida causa rápida e angustiante imersão em algo que inicio para que vai te contar o porque de algo, mas na verdade é muito mais sobre silenciar a voz da nação, de todas elas.

Almas Perdidas - Rafaela Manicka 
Caetano vive em um tenso conto de horror que me deixou verdadeiramente com medo, apesar de ter uma pegada que lembrou alguns livros e filmes já conhecidos por mim, a leitura te pega em outro momento.

Verdades Indigestas - Sandro G. Moura 
Azazel vulgo um dos sete anjos do inferno e relacionado ao pecado capital da Ira (fascinante por si só mesmo, pelo menos para mi persona) é quem nos presenteia nessa história de diversas formas interessante e polêmicas assim como o assunto em pauta, uma crítica magnifica à intolerância instalada enquanto faz o mesmo com uma televisão.

E se o tempo não passar? - Stephanie Santana 
Em terceira pessoa parte do dia da interiorana Marília é discorrida, se a atenção não for dada só parece mais um dia normal de alguém bastante preguiçosa, mas claramente a moça está com problemas, é totalmente belo como é retratado um estado de baixa na depressão pelo  lado do enfermo, talvez porque eu entendo isso e sei como é difícil afinal dizem sempre que é frescura no minimo fora outras coisas, no entanto o final é uma verdade real e oficial!

Verde e Azul -  Thiago Lee 
Essa história contada em terceira pessoa passasse na sala de aula do segundo ano B durante uma aula de matemática, que o professor ancião reclama a ausência de seus pertences e é interessante como ficamos no escuro até a última frase do texto. Obrigada!


Chovendo Tags: 7 Pecados capitais

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Fonte: Pinterest




Oi amores, acho que todos  que já leram um blog literário ou mesmo viu um canal do YouTube sobre o assunto já se deparou com as famosas tags. Então Eu e a Pink resolvemos fazer um quadro assim chamado Chovendo tags. Que assim além de ser divertido vocês conhecem um pouco mais de nós duas, não podíamos começar diferente.
A tag de hoje é a famosa sete pecados. Vamos lá?

GANÂNCIA: Qual foi o livro mais caro e o mais barato?
Thais: Mais caro foi o Batman e o mais barato acho que nove livros de Star Wars que comprei por cinco reais cada numa promoção do Submarino.
Ingrid: Bem, eu ganho a maior parte dos meus livros seja de mamis ou dos meus amigos. <3 No entanto do meu bolso mesmo foi Juncos da Juli Zeh e o mais barato foi Porque Indiana, João? do Danilo Leonardi numa oferta da Bienal do Livro.

GULA: Qual foi o livro que você devorou rapidinho?
Ingrid: A luz no fim do túnel

PREGUIÇA: Qual o livro que começou a ler, mas sempre deixa como segunda opção?
Thais: Morte Súbita
Ingrid: A rainha do sul

IRA: Com qual autor você tem uma relação de amor e ódio?
Thais: Stephen King
Ingrid: Eu não tenho nenhum no momento, mas já foi David Nicholls

ORGULHO: Qual livro da sua estante você mais se orgulha em ter ou falar sobre?
Thais: Laura porquê foi o primeiro livro que eu escrevi.
Ingrid: Ah! Eu tenho orgulho de todos, mas sou indecisa para escolher um só (culpem meu signo se quiserem kkkkk), enfim seriam E não sobrou nenhum,  A garota de Vegas e a antologia Sem mais, o amor. O primeiro foi pela dificuldade de tê-lo em mãos e amar a Senhora Agatha, já em Vegas eu ajudei na produção sendo beta e na venda tenho orgulho de toda a experiência. E para fechar com chave de ouro Sem mais, o amor é um troféu, um triunfo que nem em um milhão de anos eu ia imaginar que seria possível. Eu tenho um conto nele com a Pink e fomos indicadas a uma premiação. Com a escrita dela e essa amizade maravilhosa eu sai do buraco direto para o topo. É acho que no fim eu acabei escolhendo meu OR-GU-LHO!

INVEJA: Qual livro você sempre vê por aí, todo mundo tem, e você deseja ardentemente?
Thais: A coleção de Harry Potter ilustrada haha

Ingrid: Então gostaria de ter a coleção do Harry Potter, mas com a capa de 2017

LUXÚRIA: Quais atributos você acha mais atraente em personagens masculinos e femininos?
Thais: Me atraio fácil pelo não convencional, os clichês e seus mimimis.
Ingrid: O que mais me atrai em personagens é o sarcasmo, muito, mas do que o "físico" ou outro ponto bem singular, um personagem que sabem usar isso me ganha em dois tempos.

Saga Crepúsculo – Livro 02 – Lua Nova (autora: Stephenie Meyer)

quarta-feira, 27 de março de 2019

Sinopse: Para Bella Swan, há um coisa mais importante do que a própria vida: Edward Cullen. Mas estar apaixonada por um vampiro é ainda mais perigoso do que ela poderia ter imaginado. Edward já resgatara Bella das garras de um monstro cruel, mas agora, quando o relacionamento ousado do casal ameaça tudo o que lhes é próximo e querido, eles percebem que seus problemas podem estar apenas começando... Legiões de leitores que ficaram em transe com o best-seller Crepúsculo estão ávidos pela sequência da história de amor de Bella e Edward. Em Lua nova, Stephenie Meyer nos dá outra combinação irresistível de romance e suspense com um toque sobrenatural. Apaixonante e cheia de reviravoltas surpreendentes, essa saga de amor e vampiros segue rumo à imortalidade literária.


Um pouco sobre a história: Segundo volume da Saga Crepúsculo, neste tomo a história ganha um rumo completamente diferente do primeiro. Isabella ainda tenta se adaptar com a vida em Forks, mas tudo era mais fácil quando tinha Edward ao seu lado que a garota descobriu ser de uma linhagem de vampiros.
Edward com medo de ferir a garota se afasta deixando o caminho livre para Jacob. Nessa toada, enquanto Isabella tenta esquecer o vampiro, se aproxima tanto de Jacob que sente seu coração confuso com relação a seus sentimentos.

Resenha do primeiro aqui.

Primeiras impressões: Acho que fiquei depressiva com a primeira metade do livro, extremamente melancólico. A autora conseguiu levar o autor a partilhar os sentimentos de Bella de tal forma que senti vontade de socar a cara do Edward (fora o fato de que no filme os personagens são extremamente mal trabalhados).
Me encantei com Jacob e torci horrores por ele como potencial par a Bella, mas confesso que o filme foi bem infeliz com este personagem que sequer senti qualquer afeto.

Impressões finais: Primeiro vou dizer algo que não disse na outra resenha, eu amo a Alice. Okay todo mundo sabe que eu adoro esse nome, mas a personagem é tão fofa e intensa que me fez adorar cada vez mais, além, obviamente, dela ser praticamente a melhor amiga da Isabella.
Edward é um mala, todo certinho, inteligente, mas meio chatinho.
Não pensem vocês que sou team Jacob, porque também acho ele mala e clichê, fazendo mais o tipo bad boy que tem aversão pela escola e sai por ai desfilando de moto com aquele cabelo maravilhoso.
Agora o Emet? Ah... o Emet <3 que vampiro é aquele! Forte, lindo, personagem bem construído, independente sem mimimi.
Amei a aparição dos Volturi nesse livro. Inclusive amei a aparição deles no filme também e Jane (interpretada pela atriz Dakota Fanning) é a melhor!

Trailer:


Sobre o autor: Stephenie Morgan é uma escritora americana, conhecida pelos best-sellers da série Twilight (Crepúsculo). Graças à repercussão da série Crepúsculo, Meyer foi classificada como 49º na lista da revista Time das "100 pessoas mais influentes em 2008". Em 2010, a Forbes classificou-a como a 59º celebridade mais poderosa, com salário anual de US$ 40 milhões.
Os livros da série Crepúsculo já venderam cerca de 120 milhões de cópias ao redor do mundo, com traduções em 37 línguas diferentes, para 50 países. A adaptação cinematográfica de Crepúsculo foi lançada nos Estados Unidos em 21 de novembro de 2008, e no Brasil em 19 de dezembro. Stephenie Meyer também é autora do romance de ficção científica The Host, tendo este estado também em primeiro lugar na lista de best-sellers do New York Times. (fonte Wikipedia)

Amantes do Desejo - Gael Rodwell e Adélia Belchior

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019


Sinopse: Herdeiro de um império e o mais jovem empresário bem sucedido de Londres, Gael Rodwell costumava gastar seu tempo investindo no mercado de ações, entediado pela vida que levava, decidiu se mudar para Holborn e firmar um contrato de investimento com a agência de recrutamentos Glam.O que Gael não esperava era que além de investir uma grana preta na agência ele seria, também, investigado por ela e, no meio disso tudo, conheceria Adélia com quem sonhara noites antes de chegar ao seu novo lar. Curiosa, observadora e completamente disposta a obedecê-lo, Adélia vai pretender descobrir os mistérios que cercam o jovem investidor e, junto com eles, seus gostos sexuais mai secretos.
É verdade que quase nunca resenho livros da plataforma Wattpad, também é verdade que raramente resenho livros inacabados. Mas uma das coisas que me chamou atenção nessa obra é o fato do livro ser escrito por dois pontos de vista diferentes. 

Um pouco sobre a história: É um romance que trata sobre BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) de forma leve e divertida. Adélia, protagonista do livro e também pseudônimo da autora, trabalha para uma agência de investigação particular e, portanto, não governamental, enquanto Gael, o outro protagonista e pseudônimo do autor, é dono de uma empresa multimilionária no ramo de informática, games e tecnologia da informação. O livro retrata o trajeto da vida dos dois que se conheceram por meio de uma investigação ligada a um investimento feito por Gael.

Primeiras impressões: Eu não tenho ainda um panorama geral sobre a história porque ainda não está concluída, o livro não tem revisão, por razões óbvias, mas tem potencial. Os personagens são divertidos, as descrições de cada componente são elaboradas de forma engraçada e sutil e um detalhe marcante é que nem todos os personagens são descritos como lindos e perfeitos.

Impressões finais: Diferente dos outros livros do gênero "romance hot" que eu li, os autores abordaram o tema do BDSM de forma divertida e descontraída, desde o conhecimento do que é realmente a relação dominador e submissa até desencadear naquelas cenas mais picantes e quentes. O livro retrata, também, os medos e pensamentos da submissa que, diferente da maioria das protagonistas desse gênero, não teve qualquer problema familiar que pudesse ter desencadeado nela o desejo de servir alguém, exceto, é claro, a paixão recém descoberta. Ao mesmo passo, Gael, apesar de ser bem sucedido financeiramente, é um cara super família e apegado à mãe e aos amigos, tornando ele mais humano e carinhoso do que aquele dom que estamos acostumados a ver por aí.

Sobre o autor: Mistério. Realmente não localizamos muitas informações sobre os autores exceto que ambos são pseudônimos e o endereço da conta wattpad é @gaelrodwell.

Disponível para leitura clicando aqui

A Parte que Falta – Shel Silvestein

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019


Sinopse: Com sua poesia hábil e sensível, Silverstein aborda neste livro a busca do autoconhecimento e da completude. A metáfora se dá por meio da história de um ser circular a quem falta uma parte. Otimista, ele se lança no mundo à procura de preencher esta lacuna. À medida que descobre o universo ao redor – e também a si mesmo –, percebe que as relações interpessoais são muito mais complexas e delicadas do que pensava e que a felicidade quase sempre está dentro de nós mesmos – e não no outro. Uma prova de que a liberdade é o maior bem que podemos possuir.

Foi presente de aniversário sim. Ganhei “A parte que falta” de aniversário no ano passado da minha amiga Maria, ela sabe que eu amo literatura, trabalho junto comigo na verdade. De qualquer forma, ela quis me presentear com três livros que confesso ter demorado um pouco para ler já que a fila estava um pouco ousada de livros ainda não lidos.
Bom, como o livro é simples e curtinho acabei passando ele na frente de alguns outros e confesso que tenho algumas resenhas também ainda não postadas ou não escritas de livros que já li (preciso desesperadamente de dias com 78 horas).

Um pouco sobre a história: O livro traz um protagonista um tanto diferente que nada mais é do que uma bolinha (como uma pizza mesmo faltando um pedaço, uma fatia) que anda vagando pelo mundo a procura da parte que lhe falta.

Durante o trajeto, essa bolinha investe em diversas formas e tamanhos que possam preencher o buraco dela e passa por uma serie de situações, mas nunca desiste do trajeto.


Primeiras impressões: Leitura gostosa é um livro bem infantil, mas que trás mensagens legais sobre como não desistir de um objetivo e as dificuldades que podemos encontrar pelo caminho. De cada ponto do livro é possível tirar alguma lição para sua vida, e cada um consegue enxergar do seu jeito a mensagem que o livro traz.

Impressões finais: Uma das coisas que mais gostei sobre essa obra é que, apesar de ser um livro infantil, é também uma leitura para todas as idades e cada um percebe a mensagem do livro de uma forma de acordo com a sua idade e experiências de vida. É bem por isso que acho um pouco difícil fazer uma indicação específica dessa obra porque certamente ninguém no mundo vai ter passado exatamente pelas mesmas experiências que eu passei e talvez o contexto soe diferente ou deturpado (de um jeito bom).
Se recomendo? Com toda certeza. Por que eu recomendo? Porque as mensagens me tocaram e acho que cada um receberá de uma forma diferente, porém sempre doce, sutil e encorajadora.

Sobre o autor: Uma curiosidade é que a ilustração de A Parte Que Falta foi feita pelo Shel Silverstein, apesar. A pessoa que fizer a leitura pode idealizar o protagonista de uma forma diferente, como um pac-man, uma pizza (no meu caso) ou uma bolinha. Sheldon Allan "Shel" Silverstein foi um poeta, compositor, músico, cartunista e autor de livros de crianças americano. De origem judaica, Silverstein cresceu em Chicago, onde começou a desenhar e a escrever aos 12 anos. 

Os trabalhos de Hércules – Agatha Christie

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Sinopse: “Será que Agatha Christie permitirá que seu egocêntrico detetive insista nessa absurda ideia de se aposentar?”
Jornal The ObserverEmbora aposentado da polícia belga há muitos anos, Hercule Poirot continua na ativa como detetive, desde que, é claro, encontre casos desafiadores para solucionar. Agora, no entanto, ele parece levar mais a sério a ideia de parar de vez. E que melhor maneira de encerrar a carreira do que executando os doze trabalhos de Hércules, o herói grego que inspirou seu nome de batismo?Em cada história aqui presente, Poirot procurará relacionar uma investigação a uma das façanhas de Hércules, começando pelo leão de Nemeia e indo até as profundezas do Hades? ou quase isso. E, com o mesmo brilhantismo com que fará essas associações, nosso detetive resolverá os mistérios e encontrará os culpados. Mas será mesmo esse o fim de sua jornada? Sobre o autor: Agatha Christie é simplesmente a romancista de maior vendagem de títulos da história, atrás apenas da Bíblia e de Shakespeare, razão pela qual é conhecida como a Rainha do Crime. Seus oitenta romances policiais e coletâneas de contos já foram publicados em mais de uma centena de línguas no mundo inteiro. O sucesso de sua obra, ampliado pelas inúmeras adaptações para o cinema e para a tevê, é um tributo ao eterno fascínio de seus personagens e à absoluta engenhosidade de suas tramas.


Bom, o meu exemplar de Os trabalhos de Hercules, nada mais é do que um livro edição de bolso da editora L&PM que tem 12 mini contos de Hercule Poirot inspirados nas tarefas do Semi-Deus Grego, Hércules, são eles: O leão de Neméia; A hidra de Lerna; A corça da Arcádia; O javali de Erimanto; Os estábulos de Áugias; As aves do lago Estínfalo; O touro de Creta; Os cavalos de Diómedes; O cinto de Hipólita; O rebanho do Gerião; As maçãs de Hespérides e; A captura de Cérbero (tenho um exemplar somente com esse último conto, mas faz mais sentido resenhar junto com a obra completa).


Um pouco sobre a história: Nesta trama a autora envolve Hercule Poirot, um de seus melhores detetives, prestes a se aposentar decidindo pegar seus doze últimos casos que seriam equiparados as brilhantes tarefas protagonizadas por Hercules, o semi Deus grego que inspirou seu nome de batismo.

Primeiras impressões: Em seu primeiro trabalho, para representar O Leão de Nemeia, Hercule entra em um inusitado caso de sequestro de um cachorro pequinês.
No trabalho seguinte Agatha encontra uma forma também inusitada para representar a Hidra de Lerna. Neste conto o que simboliza a Hidra é a fofoca, que assim como a Hidra que você vai acabar com uma cabeça e nascem duas, a fofoca age de forma igual.
E cada caso equiparado de certa forma com um caso de Hercules o Semi Deus grego.

Impressões finais: Livro maravilhoso, como todos da Agatha. Alias, quero ressaltar que aqueles que pretenderem começar a ler Agatha, comecem por esta história já que o livro consiste basicamente em doze pequenos contos, fáceis de ler, rápidos e mostram de forma clara e eficiente a magia da autora. 

Sobre o autor: Agatha Mary Clarissa Christie DBE, nascida na InglaterraReino Unido em 15 de setembro de 1890. Faleceu em 12/01/1976, popularmente conhecida como Agatha Christie, foi uma escritora britânica que atuou como romancistacontistadramaturga e poetisa.
Destacou-se no subgênero romance policial, tendo ganhado popularmente, em vida, a alcunha de "Rainha/Dama do Crime" ("Queen/Lady of Crime", no original em inglês). Durante sua carreira, publicou mais de oitenta livros, alguns sob o pseudônimo de Mary Westmacott.


Percy Jackson e os Olimpianos – volume 02: O Mar de Monstros (Rick Riordan)

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Sinopse: Best-seller do The New York Times, essa nova aventura, Percy e seus amigos estão em busca do Velocino de Ouro, único artefato mágico capaz de proteger da destruição seu lugar predileto e, até então, o mais seguro do mundo: o Acampamento Meio-Sangue. Com o envenenamento da árvore de Thalia por um inimigo misterioso, as fronteiras mágicas que protegem o Acampamento estão ameaçadas, e é preciso buscar o antídoto.
Assim, nossos heróis partem em uma arriscada e incrível viagem pelo Mar de Monstros, localizado nas coordenadas 30-31-75-12: uma referência ao Triângulo das Bermudas. Lá, enfrentam seres fantásticos e muitos perigos e situações inusitadas, que põem à prova seu heroísmo e sua herança – quando Percy irá questionar se ser filho de Poseidon é uma honra ou uma terrível maldição. Combinando fatos contemporâneos com mitologia, fantasia com erudição, O Mar de Monstros diverte, encanta e ensina pais e filhos.

Segundo livro da saga Percy Jackson e os Olimpianos, com outra adaptação horrorosa para o cinema, mas que o livro é maravilhoso, isso não tenham dúvidas.

Resenha do primeiro aqui.

E, por fim, já tivemos a notícia de que depois deste filme, não haverá mais adaptações para o cinema. Amém!!

Um pouco sobre a história: Depois de descobrir que sua vida podia ser muito mais divertida do que aquela que levava em Nova Iorque, e, agora que Percy sabia ser um semi-Deus e ter, parcialmente, feito as pazes com seu pai, Posseidon, somado ao fato de que sua mãe finalmente rompera o casamento com um homem horroroso que servia apenas para proteger Percy e mascarar sua verdadeira identidade, Percy partirá em um nova aventura com seus amigos Groover e Anabeth.
Mas nem tudo era do jeito que ele pensava que seria, já que seu pai, Posseidon, além de sua mãe, teve outras mulheres, incluindo uma ciclope que deu vida a um meio-irmão, Tyson.
No meio disso tudo e do leve ciúmes que Percy sentiu do garoto novato com quem ele deveria dividir sua cabana no acampamento, eles sofrem um ataque e a árvore que protegia a entrada do acampamento meio-sangue está morrendo.
A única coisa que pode salvá-la: o Velocínio de ouro.

Primeiras impressões: Além das surpresas encontradas nesse segundo volume da saga dos Olimpianos, Rick Riordan trabalha o protagonista Percy Jackson exatamente no ponto do ciúmes, por um pai que ele nunca conheceu ter tido um outro filho e de certa forma ter mais contato com esse filho do que com o Percy.
Rick também mostra Posseidon, mesmo sendo um dos deuses maiores, com uma série de defeitos, como exemplo ser um péssimo pai, o que traz mais emoção para a história toda, pasmem.
E temos Tyson, um ciclope completamente desajeitado e rejeitado por Percy que não larga do pé do garoto, como um irmão mais novo mesmo que se espelha no mais velho.
Impressões finais: Além dos personagens principais e Tyson, Rick anota na obra algumas competições dentro do acampamento dando uma fiel importância a Clarisse. Somado a isso Luke retorna agora do “lado negro da força” com a missão de finalmente destruir o Olimpo.

Segue o trailer do segundo e último filme da saga:


Impressões finais: sobre o livro amei, sobre o filme... esperava mais.

Sobre o autor: Richard Russell Riordan, Jr., também conhecido simplesmente como Rick Riordan, é um escritor norte-americano, mais conhecido por escrever a série Percy Jackson & os Olimpianos. Ele também escreveu a série adulta de mistérios TresNavarre.

Desça já da minha nuvem - Todos os direitos reservados - Por: Louder Design